Por algum tempo eu venho dando voltas neste tema e muito mais quando leio reiteradamente no LKDN que muitos profissionais estão “ativamente à procura de emprego”, mas não conseguem passar a barreira de envio do CV, sem atingir a entrevista muito aguardada, simplesmente porque eles não cumprem o principal requisito; que, sem ser anunciado, é a prioridade para a maioria dos processos de seleção: a idade.

É uma espiral que está em curso e cada vez mais se expande, uma vez que grandes e importantes empresas estão reduzindo sua força de trabalho com base neste critério, onde além de perder o “know-how” da empresa, não parecem considerar que sempre vão ter maior dificuldade em preencher suas vagas com perfis solicitados, e não pelas competências técnicas necessárias, mas por suas preferências por jovens candidatos.

Por quê? Já não é mais como antes, agora os jovens que terminam as suas carreiras e pós-graduação, querem trabalhar em uma “startup”, principalmente porque a cultura empresarial é diferente da tradicional empresa.

Amigas minhas, com filhos com mais de 25 anos estão “alucinadas”, porque seus filhos recusam contratos permanentes de grandes empresas, tendo trabalhado por vários meses, em estágios, para ir a países estrangeiros à procura de trabalho e/ou comprometido a trabalhar em startup, onde o futuro é incerto.

Agora, já não se busca a estabilidade no emprego e nem trabalhar em uma empresa por toda a vida.

A ordem de prioridades mudou. Interessam-lhes as empresas sem estruturas hierárquicas rígidas, projetos interessantes onde podem aprender e um ambiente de trabalho agradável.

Por estas razões, eu recomendaria às grandes empresas que cuidem de suas equipes de trabalho, posto que a incorporação de novos recursos, não vai ser fácil se eles continuarem usando os mesmos parâmetros que hoje.

 Como podemos ver, os Recursos Divinos estão proporcionando uma transformação, uma vez mais aos Recursos Humanos.

Por esta razão, estamos ajudando a Diretorias de Recursos Humanos para transformar o seu modelo de gestão e motivar suas equipes a serem mais eficientes, além de reduzir seus custos em processos caros e improdutivos.

 

 

Por ActionCOACH Teresa Gómez Anquela | Espanha

Voltar