INOVAÇÃO –  Você tem que criar modelos onde o que aconteceu até hoje não são a base para pensar em amanhã. 

O astrônomo Carl Sagan decidiu representar os 15.000 anos de história do Universo como se tivesse ocorrido em um período de 12 meses. Tudo isso, com a ideia de ter uma visão mais gráfica da evolução do mundo. Desta forma, cada mil anos seriam representados por vinte e quatro dias do calendário, estabelecendo para o início do Universo com o Big Bang o dia 1 de janeiro. Dia 14 de setembro seria o momento da formação da Terra e o dia 21 de dezembro a aparição dos primeiros insetos e, pouco a pouco, do resto dos animais. O dia trinta e um de dezembro às 23:59:59, ou seja, o último segundo do ano, corresponderia à era atual.

Nesse último segundo, há mais mudanças e avanços do que no resto do ano. É a transformação mais relevante desde a criação do Universo produzida a uma velocidade que poderíamos chamar de “brutalmente exponencial”

A Primeira e Segunda Revolução Industrial marcaram um ponto de inflexão e o início de uma nova etapa de crescimento e avanços contínuos em todos os aspectos da vida. A chamada Revolução Tecnológica, que começou há cerca de três décadas, está assumindo um novo marco que está transformando nosso modo de vida em todas as suas manifestações, proporcionando, em geral, uma melhoria no chamado “Estado de Bem-Estar”, desfrutado pelos países mais avançados.

No entanto, a nível econômico, todos esses avanços estão assumindo uma mudança nos paradigmas de gestão das empresas. As grandes corporações estão criando os primeiros grupos de trabalho para planejar o futuro sob a premissa de esquecer o passado. Você tem que criar modelos onde o que aconteceu até hoje não são a base para pensar em amanhã. As mudanças que se seguem parecem muito diferentes e, em grande medida, imprevisíveis devido à velocidade e profundidade delas.

Já não temos concorrência em nosso ambiente físico, ela pode estar em qualquer canto do mundo; Às vezes, não está alojada em edifícios comerciais, mas em uma garagem ou em um local remoto, onde de um computador simples pode operar com cobertura mundial.

Todos esses riscos obrigam as empresas a começar a trabalhar no desenvolvimento de certas atitudes e habilidades que garantam sua continuidade em um mercado cada vez mais competitivo, global e mutável.

A palavra chave é INOVAÇÃO…

Inovação será uma palavra-chave. A ela devemos unir flexibilidade, antecipação e capacidade de adaptação às mudanças. A Criatividade e a imaginação são valores ascendentes porque facilitarão o desenvolvimento de diferenciais e permitirão que sejam mais competitivos.

Os líderes empresariais devem gerenciar a nave em uma posição que lhes permita visualizar o horizonte com mais perspectiva, se antecipar as mudanças e torná-las próprias. Eles deverão trabalhar para que a organização possa se adaptar às novas situações que serão geradas habitualmente em seu escopo de ação.

A famosa frase atribuída a diferentes autores: “Aquele que esquece o passado está condenado a repeti-lo” pode acrescentar outro do ponto de vista comercial: “Aquele que esquece o passado está condenado a um futuro menos incerto”.

Portanto, devemos alocar uma parte cada vez mais importante de nossos esforços para trabalhar em um novo cenário, que hoje já é muito ativo em nossas empresas: as mudanças “brutalmente exponenciais” que as novas tecnologias estão gerando em nosso ambiente. Isso nos permitirá ser mais competitivos, modernos e flexíveis para podermos ir ao mercado global com mais garantias de sucesso.

Por ActionCOACH José Luiz González/ Espanha

Voltar