Durante muitos anos, pensava-se que liderança tinha somente aquele que dominava ou tinha o poder, deixando o destinatário de seu pedido em um lugar de desamparo. Costumamos dizer na ActionCOACH, que em relacionamentos deste tipo, existe um Ganha-Perde, não funciona assim, a balança deve ser equilibrado em um Ganha-Ganha.

O verdadeiro fundamento da liderança não é o poder, mas a autoridade, que é construída sobre a base de boas relações, amor, serviço e sacrifício.

Dirigir consiste, paradoxalmente, em servir os outros. Um bom líder está ciente de seus subordinados: ele atende suas necessidades legítimas, ajuda-os a alcançar seus objetivos e aproveita ao máximo suas habilidades.

A liderança é a arte de influenciar as pessoas a trabalhar com entusiasmo para alcançar objetivos para o bem comum.

Uma das palavras chave é a “arte”, em outras palavras uma destreza aprendida o adquirida. Qualquer um pode aprendê-la e desenvolvê-la unindo ao desejo apropriado as ações apropriadas.

A outra palavra chave é “influenciar”. Como conseguiremos desenvolver esta influência sobre os demais? Como lograremos que as pessoas ajam conforme a nossa vontade? Como obteremos suas ideias, seu compromisso, sua excelência, que são por definição dons voluntários?

Las cualidades más frecuentes de quienes tienen autoridad se  define mediante las siguientes cualidades:

Poder: uma capacidade de forçar ou coagir alguém, de modo que, embora ele prefira não fazê-lo, faça a sua vontade por causa de sua posição ou dele. Ou seja, “você faz isso ou eu o lanço na rua”.

Autoridade: a arte de fazer com que as pessoas voluntariamente façam o que se quer, graças à influência pessoal. Ou seja, fazer com que as pessoas voluntariamente façam a vontade de outra, porque foram convidados a fazê-lo.

As qualidades mais frequentes daqueles que têm autoridade são definidas pelas seguintes virtudes:

  • Paciência: mostrar seu domínio
  • Afabilidade: prestar atenção, apreciar, incentivar.
  • Humildade: ser autêntico, despretensioso.
  • Respeito: tratar os outros como se fossem pessoas
  • Generosidade: satisfazer as necessidades dos outros.
  • Indulgência: não guardar rancor contra aquele que nos desobedeceu
  • Honestidade: ser livre de enganos.
  • Compromisso: manter o seu próprio

Quando se lidera com autoridade, é necessário dar o melhor de sí mesmo, amar, servir e se sacrificar pelos demais. O amor não consiste no que se sente pelos demais, mas  sim no que se faz por eles.

O desafio do líder consiste em identificar aqueles traços em que você deve trabalhar, e fazê-lo.

Quando se trabalha com pessoas, e se quer que elas façam algo, se deve levar em consideração duas dinâmicas: a tarefa e a relação. Os líderes tendem a desequilibrar a balança em favor de um dos dois, em detrimento do outro. Por exemplo, se você se concentrar na tarefa e não no relacionamento, isso pode resultar em rebeldia, falta de qualidade, baixo nível de compromisso, etc. Por outro lado, se o líder apenas lida com o relacionamento humano e negligencia as tarefas, ele não será um verdadeiro líder. A chave para a liderança é a realização das tarefas atribuídas, promovendo as relações humanas.

Os relacionamentos são importantes nas empresas: se não houver pessoas, não há companhia. Os grandes líderes realmente têm a arte de construir relacionamentos que funcionam. Para construir a confiança, o ingrediente mais importante é a confiança.

O ambiente é extremamente importante na liderança – é necessário criar um ambiente saudável em que as pessoas possam crescer e prosperar. Um líder deve certificar-se de que as condições são adequadas para que isso aconteça.

Um líder deve pensar em sua área de influência como um jardim que precisa de atenção e cuidado, e se perguntar:

O que o meu jardim precisa? Que o adube com um pouco de apreciação, reconhecimento e elogios? Isso elimina a praga?

O ambiente precisa de atenção constante e, se isso for alcançado, se obterá os frutos. Infelizmente, muitos líderes não sabem como ser pacientes e abandonam a tarefa antes que os frutos comecem a aparecer. Há muitos que querem resultados rápidos, mas a fruta só vem quando está pronta. É por isso que o compromisso com um líder é tão importante.

O tempo que leva para o fruto amadurecer depende de nossos relacionamentos. Para entender os relacionamentos, usamos a metáfora de Covey da conta bancária. Quando conhecemos alguém, abrimos uma conta na qual, ao longo do tempo, fazemos depósitos (quando somos sinceros, educados, etc.) e retiradas (quando somos hostis, quebramos compromissos, etc.). Isto é particularmente verdadeiro no caso de elogios (depósitos) e repreensão (retirada) em público. Estudos mostram que, para compensar a retirada, são necessários quatro depósitos.

Lembre-se desta conta bancária ao criar relacionamentos com seus sócios e equipe.

O paradoxo Uma história sobre a verdadeira essência da liderança de James C. Hunter

Que ações você vai tomar agora para mudar o seu negócio e a sua vida?

 

Por  ActionCOACH Mariela Grasso / Argentina

Voltar