Por ActionCOACH Claudio Rauld / Chile

BigData é um termo adotado para se referir ao gerenciamento de uma grande quantidade de dados. A relevância do conceito está no enorme volume, variedade e velocidade da informação. Isso torna essencial saber como capturá-lo, armazená-lo e processá-lo para compreendê-lo. Então, esta informação está disponível para classificar, manipular e categorizar a critério das empresas.

O BigData vai, de alguma forma, um passo além da estatística e hoje se tornou a matéria-prima da demografia e sociologia, duas ferramentas fundamentais na pesquisa de mercado.

Mas quão grande é isso? Para se ter uma ideaia, segundo a IBM, 90% dos dados disponíveis no mundo hoje foram criados nos últimos dois anos. O BigData se tornou esse “monstro” desde que as máquinas entraram em cena, coletando dados silenciosamente do smartphone, sensores de carros e os milhões de “cliques” que os usuários fazem em seus computadores.

O que fazer com toda essa informação? Como processá-lo para transformá-lo em relatórios úteis que contribuam para a tomada de decisões em seu negócio? Esta questão tornou-se fundamental no mundo da TI. Por exemplo, ele pode ser usado na análise de clientes, experiência do cliente, avaliação de riscos, conformidade regulatória, localização por local físico, otimização de campanhas e muito mais.

Se sua empresa pode se beneficiar de sensores de registro de dados, todas essas informações são transformadas em tomadas de decisão mais precisas no momento certo.

Hoje os dados não são mais usados tanto para saber o que aconteceu (tempo passado), mas hoje eles estão acostumados a conhecer os eventos em tempo real. Isso permite que você forneça um endereço para o marketing, melhore seus serviços, reduza os custos e economize tempo.

O principal objetivo é tomar decisões relevantes sem a necessidade de procurar especialistas em cada área.

Quais ferramentas você precisa? Certamente você já tem ferramentas para processar grandes quantidades de dados sem saber. Estes variam de relatórios de vendas e análises da web, programas de fidelidade a bancos de dados de clientes. A chave é relacionar todas essas informações em um programa facilmente acessível a todos os membros de sua equipe.

Existem 4 dimensões de análise que permitem obter todos os benefícios do BigData:

 

-Análise descritiva: Explique o que está acontecendo

-Diagnóstico: Explique porque algo está acontecendo

-Análise preventiva: Antecipa um resultado provável

– Análise perceptiva: aponte como fazer algo acontecer

 

Em conclusão, podemos dizer que a BigData já tem um papel fundamental nos negócios, já que as empresas precisam conhecer muito bem seus clientes. Por meio de estratégias baseadas em dados, as empresas inovam, competem melhor e obtêm valor.