Você geralmente vai ouvir este refrão de empresários de sucesso: “Ninguém nunca ficou rico trabalhando para outra pessoa. Trabalhar para outra pessoa significa que você estará sempre limitado ao que eles estão dispostos a lhe pagar. Trabalhe para si mesmo, e o limite é apenas o que você está disposto a trabalhar.”

Empresas têm alto valor e baixa liquidez, propriedades têm valor médio e liquidez média, enquanto ações têm estritamente um baixo valor, mas são um ativo de alta liquidez. Cada um desses investimentos exige que você tome uma abordagem diferente, a fim de que sirvam como ativos adequados, em vez de passivos. Compreender onde as empresas se encaixam nessa tríade irá equipá-lo melhor para maximizar o seu valor. É difícil subestimar a importância disso:  as empresas têm o potencial de contribuir muito mais para a sua riqueza líquida global do que propriedades e ações combinados.

Como empresas possuem um baixo nível de liquidez geral, elas não são adequadas como fontes rápidas de renda. Embora empresas agreguem o maior valor global à sua riqueza, elas não podem ser vendidas rapidamente. Uma empresa leva uma média de dez meses para ser vendida,enquanto uma propriedade pode levar um pouco mais do que um único mês. Já as ações podem ser vendidas no espaço de um instante. É por isso que as pessoas ricas mantêm tipicamente uma variedade saudável de propriedades e de ações à mão; empresas agregam o maior valor, mas não podem ser liquidadas tão facilmente. Se você se encontrar numa situação de uma necessidade repentina de dinheiro, você precisa de um recurso comum de nível mais elevado de liquidez para resolver o problema.

O outro lado da moeda é que empresas adicionam mais valor do que qualquer outra coisa que você possa possuir. Você não tem virtualmente nenhum controle sobre o preço de uma ação (a menos que você possua uma quantidade substancial da companhia), e o preço da propriedade é ditado na maior parte por forças do mercado. As empresas são únicas na medida em que você tem o poder de agregar diretamente valor a elas. É por isso que ter empresas em sua carteira é tão importante durante as recessões! Você tem pouco controle sobre o valor das suas ações e propriedades, mas você pode sempre continuar a adicionar o valor a uma empresa não obstante circunstâncias econômicas.

A parte  mais difícil do investimento em empresas é que isso exige investir ativamente uma grande quantidade de tempo e de dinheiro quando o negócio é novo. Suas propriedades e ações podem ser gerenciadas passivamente, mas extrair o maior valor de suas empresas exige que você suje as mãos, por assim dizer. Somente depois de ter alcançado o ponto em que a empresa se sustenta você pode começar a tratá-la como um verdadeiro ativo; empresários que não conseguem fazê-lo continuam a derramar dinheiro no que é essencialmente um passivo. Lembre-se: os ativos alimentam você, enquanto os passivos comem você.

O objetivo de seus investimentos em seus negócios é alcançado quando eles geram rendas e sem o seu envolvimento direto. Esta é a chave por trás do sucesso dos franqueados: eles”possuem”seus próprios negócios e geram seu próprio fluxo de caixa contínuo, mas eles não precisam trabalhar para desenvolver uma marca reconhecida e um produto. Uma vez que eles colocam pessoas qualificadas em seus papéis, o negócio se sustenta e mantém seu valor, mesmo quando os tempos são ruins.

No que diz respeito a ativos, as empresas são o único dos três que realmente cria riqueza. Ninguém se tornou um bilionário apenas por possuir ações ou propriedades. Quanto mais valor você adicionar, mais a sua empresa vale a pena. Maximizar o valor da sua empresa vai torná-la um ativo que continuará a alimentá-lo até o final de sua vida, mas você deve estar disposto a investir o tempo e dinheiro necessários para que isso aconteça! Equilibre sua carteira conforme necessário, mas entenda que você deve ter um negócio para criar riqueza verdadeira e duradoura.