Por ActionCOACH Fernando Herrera/México

A principal ação do proprietário e diretor da empresa é o comando, o que implica saber dirigir, saber governar. O diretor é, antes de tudo, um descobridor de pessoas: conhecer os talentos e as qualidades de sua equipe para colocar cada pessoa no local em que pode obter os melhores resultados. O trabalho de comando envolve fazer trabalho; mas o bom diretor sabe como fazer os outros trabalharem com ordem e alegria.

Isso requer paciência, porque primeiro você precisa descobrir as pessoas e treiná-las para dar o melhor de si, o que implica prudência e sabedoria que envolvem a capacidade de observar, pesquisar e descobrir. E então, como a abelha, seja consistente: colete, aprenda, construa e armazene para o bem da equipe, repetidamente.

Faça o trabalho com organização e alegria. Um dos principais objetivos do governo na empresa é que as pessoas sejam motivadas, felizes, a dar o melhor de si. Governo fatal: eficácia, mas pessoas com tristeza ou raiva.

 

Ordem. Não apenas a ordem pessoal, mas também a dos outros. Para isso, mantenha claramente o curso (visão, missão, valores, metas) e, dentro dele, as comissões (funções e responsabilidades) das pessoas, para que saibam o que fazer e para que fazer. O restante, os ativos da empresa e as informações, são importantes na medida em que ajudam o objetivo da organização. Perigo: o desejo de eficiência, buscando resultados fora das pessoas.

Trabalhe com ordem: guie, incentive, exija, para que cada um assuma sua responsabilidade e os problemas que lhes correspondem e não se sobreponham às funções. Aqui está uma questão importante: as metas pessoais devem estar alinhadas com as da organização. A ordem nos leva à unidade, ou seja, trabalhar em equipe, com prioridades claras. Dessa forma, você pode respirar um intenso ambiente de trabalho e colaboração.

Se houver ordem, haverá paz e harmonia. Se estiver faltando, tudo será emergências, acelerações e freios: viveremos apagando incêndios.

Juntamente com a prudência, existem duas virtudes importantes, que unem trabalho com ordem e alegria: força e caridade. Com eles, saberemos entender as pessoas e saberemos demandar constantemente, fazendo o melhor de cada um, até atingir os objetivos.

 

Alegria. O crescimento da empresa leva à paz e ao equilíbrio das pessoas: daí vem a alegria. Nas reuniões de trabalho, tente ser positivo e otimista, sem cair na ingenuidade ou num falso conformismo. Reconheça problemas e dificuldades, mas o tom geral deve ser de incentivo e impulso que produz alegria. O diretor não pode ser alguém que se queixa ou crítica, que assiste desconfiado, sendo carrancudo no trabalho. Aprenda a ver antes o positivo e não apenas o das pessoas e dos projetos.

O diretor deve saber sorrir, parabenizar as conquistas de sua equipe, comemorar os resultados. Seja nobre, atencioso e acessível, não afirmando sua autoridade à distância. Confie: um governo fundado na desconfiança dá errado. Devemos mostrar que as pessoas são confiáveis. Isso tornará mais fácil e rápido superar problemas e alcançar os objetivos da empresa.