Quando pesquisamos sobre cultura empresarial, encontramos exemplos de grandes empresas e multinacionais. Apple, Google e Facebook estão sempre na linha de frente, inspirando profissionais e empresários a promoverem uma cultura que investe na conectividade e inovação.

No entanto, apesar de motivador e inspirador, é difícil trazer estes exemplos à realidade de pequenas e médias empresas. Por isso, neste artigo, iremos explicar o que é cultura no ambiente de trabalho e como ela pode ser o grande diferencial para o seu negócio.

Afinal, o que é cultura empresarial?

A cultura molda desde a produtividade dos funcionários até os resultados da organização. Ela está sempre presente durante as reuniões, nas tomadas de decisões e até mesmo durante o horário de almoço, quando todos estão descansando. Mas, afinal, o que é cultura?

Segundo o autor Chiavenato (2004), a cultura é definida pelo “conjunto de hábitos e crenças, estabelecidos por normas, valores, atitudes e expectativas, compartilhado por todos os membros da organização.” Em linhas gerais, simboliza a maneira de ser de uma empresa, aquilo que não pode ser copiado pelas demais.

Apesar de ser tão importante, a cultura é ambígua, intangível e complexa de identificar. Por isso, Chiavenato compara a cultura com um iceberg, em que apenas 10% ou 20% estão visíveis, mas a maior parte permanece oculta, em um lugar onde as pessoas não conseguem enxergar.

Utilizando o exemplo do iceberg, os aspectos visíveis de uma cultura seriam: missão, visão, valores, políticas, procedimentos, objetivos, estrutura organizacional (organogramas), tecnologia adotada, vestimenta, entre outros.

Porém, os 80% ocultos são aqueles que estão enraizados na maneira de ser daquela empresa, portanto, são os mais difíceis de serem mudados e definem realmente a cultura do lugar: aspectos informais, percepções, sentimentos, atitudes, o modo como devem se comportar no ambiente interno de trabalho e a melhor estratégia no momento de fazer negócios.

Como identificar ou transformar a cultura de um pequeno negócio?

Quando pensamos em pequenos negócios, o comportamento e a maneira de ser do dono da empresa são os principais fatores que definem a cultura do lugar. A forma de liderar, a linguagem utilizada com os seus funcionários e a personalidade da figura central do negócio são determinantes na maneira de ser daquela organização, muito mais do que nas grandes empresas.

Por ser composta por poucos funcionários, o perfil do dono é quem irá ditar a cultura da empresa. Líderes autoritários, muitas vezes, não permitem que seus funcionários expressem suas opiniões abertamente, o que pode gerar entre esses profissionais uma cultura do “não dito”, em que ninguém fala o que realmente pensa e o que pode ser melhorado. Com isso, erros não são corrigidos e a empresa pode passar anos sem crescer.

Por outro lado, um líder que está comprometido com seus funcionários, que os estimula a dar suas opiniões e a participar em conjunto das decisões do negócio, geralmente facilita o engajamento com a organização, pois esses indivíduos sentem que fazem parte das conquistas e derrotas.

Desta forma, como líderes e gestores de pequenas organizações, é necessário questionar como nossa maneira de ser afeta o comportamento de nossos funcionários e, como consequência, a cultura empresarial.

Algumas ferramentas e técnicas podem ajudar a identificar nossos erros e acertos no ambiente de trabalho, entre elas, sessões de coaching e de consultoria empresarial.

Gostou do artigo? Que tal compartilhá-lo em suas redes sociais?

Celio Melim Jr.
Coach de Negócios
ActionCOACH SC
(47) 3028-1806 / (48) 98405-1800
www.actionworks.com.br
www.facebook.com/actionworksBR